domingo, 5 de julho de 2015

FGV aposta no digital para alinhar tradição e inovação



Instituição investe 80% do orçamento de Marketing em ações online e conquista título de mais influente no LinkedIn no Brasil, à frente de marcas como Vale e Ambev


Com a maturidade dos 70 anos, a Fundação Getulio Vargas mantém posição de vanguarda e aposta no ambiente digital como sua principal estratégia de Marketing. A iniciativa está dando certo e, recentemente, a instituição conquistou o título de marca mais influente no LinkedIn no Brasil. A plataforma analisou a audiência total e os usuários únicos que interagiram com o conteúdo para chegar ao ranking. Pela primeira vez no país, uma instituição de ensino conquista a posição de destaque, superando nomes como Vale, Ambev, Odebrecht e Petrobras.

A conquista foi um reconhecimento ao trabalho que vem sendo desenvolvido pela FGV, que destina 80% do orçamento de Marketing para ações online. A fundação está presente nas principais redes sociais como Facebook, Twitter, Pinterest, YouTube, Instagram e Google+, mas não por acaso a rede profissional LinkedIn é a principal delas. É neste ambiente que a instituição estreita o contato com os alunos, mantém-se próximo daqueles que já passaram por suas aulas e prospecta novos clientes.
Todo o trabalho é desenvolvido por uma grande equipe comandada pelo Diretor de Comunicação e Marketing, Marcos Facó. Nesta entrevista, o executivo apresenta a estratégia adotada pela Fundação, que está conquistando cada vez mais novos alunos e até prêmio.
Mundo do Marketing: Qual é a importância do Marketing Digital para a Fundação Getulio Vargas?
Marcos Facó: Acredito que o digital seja um caminho sem volta e o social, dentro deste ambiente, é cada vez mais significativo. Investir no digital é uma estratégia da FGV para alinhar tradição e inovação. Estamos sempre buscando a inovação e o que está na ponta, testando as plataformas, procurando a melhor maneira de nos relacionarmos com o aluno e, até mesmo, utilizando-nas de forma didática. Com as nossas ações no digital, conseguimos atrair, inclusive, alunos de outros países sem nunca termos investido em propaganda off-line nesses lugares e nem online. Mas por meio das redes sociais, de pesquisa no Google e em sites, esses estrangeiros conhecem a nossa instituição e acabam se inscrevendo nos cursos online.
Mundo do Marketing: E qual a importância do LinkedIn?
Marcos Facó: Hoje o LinkedIn é a plataforma mais importante para a instituição e que agrega muito valor a nossa marca. Esta é a rede social do futuro, por ser uma ferramenta séria e uma rede que possibilita a troca de informações, permitindo o compartilhamento de conhecimento. Esta é a plataforma na qual mais investimos, pois une as empresas às instituições de ensino na busca pela qualificação profissional e pelo conhecimento. Foco que as outras redes não têm. Enquanto o LinkedIn funciona como uma vitrine profissional, as outras plataformas atuam como um mostruário pessoal, voltada para o lado social e para o entretenimento
Mundo do Marketing: De que maneira os profissionais do Marketing da instituição atuam nas redes sociais?
Marcos Facó: A FGV entende que não dá para terceirizar o orgânico, porque o aluno, ex-aluno ou usuário quer um relacionamento com a empresa e não com um terceiro falando em nome da instituição. É por isso que trazemos isso para o mais próximo possível, com uma equipe exclusivamente dedicada à comunicação. O Marketing da empresa conta com 80 colaboradores, dos quais 10 estão totalmente focados no digital. Neste grupo, há profissionais dedicados às métricas, ao mobile, às redes socais e também fazendo interface com a agência no planejamento das campanhas patrocinadas.
Mundo do Marketing: A FGV é reconhecida internacionalmente e as redes sociais ajudam a estreitar o contato com o público externo. Como vocês trabalham esta questão?
Marcos Facó: Temos relacionamento com várias instituições de ensino no exterior e atraímos a atenção de muitos estrangeiros interessados nos nossos cursos e também nas nossas pesquisas e produção de conhecimento. É por isso que há pouco mais de dois anos passamos a manter uma versão em inglês das nossas postagens com perfis dedicados à comunidade estrangeira. Para isso contamos com profissionais dedicados a replicarem conteúdo no idioma a fim de estreitar essa relação.
Mundo do Marketing: Qual é o retorno que a FGV tem como essa iniciativa?
Marcos Facó: Essa ação tem papel fundamental na divulgação das nossas atividades acadêmicas. Ela não é focada para atrair o aluno, mas isso acaba acontecendo. As redes sociais em inglês ajudam o público externo a ter contato com a nossa produção de forma mais fácil. Muitos jornalistas de outros países usam a FGV como fonte e seguem a instituição nessas redes para ter acesso a comentários sobre inflação, segurança pública e economia, por exemplo. Como o Brasil está na pauta de muitos países, é natural que esses profissionais busquem informações em fonte primária e o que fazemos é facilitar o acesso.
Mundo do Marketing: De que maneira a instituição planeja o seu posicionamento digital?
Marcos Facó: Como tudo isso é muito novo, estamos sempre revendo, pensando, analisando os resultados e tendo o feedback do público para saber como está sendo a experiência dos nossos seguidores e quais são as expectativas deles. A FGV tem três grupos de discussão no LinkedIn, por exemplo, que funcionam de maneira espontânea, com conteúdo gerado pelos próprios membros. Estamos estudando se vamos investir mais na moderação desses grupos, para que o debate não se perca e que não entrem temas inapropriados. Estamos também buscando novas possibilidades para os nossos alunos e vamos integrar a plataforma do LinkedIn no site da FGV para ter um relacionamento mais próximo. Queremos oferecer palestras para os nossos ex-alunos para ensiná-los a como utilizar melhor esta plataforma, ganhar visibilidade profissional e conseguir uma recolocação no mercado.
Mundo do Marketing: Quais são os próximos passos da instituição no ambiente online?
Marcos Facó: Lançaremos em breve o aplicativo FGV Finder, desenvolvido em parceria com o LinkedIn, que ajudará os interessados a encontrarem um curso de pós-graduação. Após a solicitação, a ferramenta analisará todas informações disponíveis no perfil da rede social e indicará o melhor curso oferecido pela Fundação Getulio Vargas, dentro das especificações de cada profissional, e o mais perto possível. O APP permitirá ainda que o interessado faça a matrícula online. 
Mundo do Marketing: Aos 70 anos, o que uma empresa como a FGV tem que fazer para abrir o diálogo com as novas gerações?
Marcos Facó: Os Millennials são totalmente conectados e é por isso que nossos investimentos de comunicação para o vestibular estão 100% focados no digital. Atuamos principalmente no Facebook e contamos com a parceria de diversas empresas para criar desafios para este público. Funciona como uma grande competição em que os internautas são provocados pelas marcas a solucionarem problemas. A melhor resposta ganha um prêmio oferecido pela empresa e, se o estudante passa no vestibular, ele é presenteado mais uma vez, que pode ser, inclusive, com um oportunidade de estágio. O mais interessante é que o jovem entra na FGV com um relacionamento com essas empresas de grande renome. Esta ação tem dado muito resultado.
Breve Como construir um público-alvo melhor no ambiente digital. 

Mundo do Marketing

Nenhum comentário:

Postar um comentário