domingo, 5 de julho de 2015

FGV aposta no digital para alinhar tradição e inovação



Instituição investe 80% do orçamento de Marketing em ações online e conquista título de mais influente no LinkedIn no Brasil, à frente de marcas como Vale e Ambev


Com a maturidade dos 70 anos, a Fundação Getulio Vargas mantém posição de vanguarda e aposta no ambiente digital como sua principal estratégia de Marketing. A iniciativa está dando certo e, recentemente, a instituição conquistou o título de marca mais influente no LinkedIn no Brasil. A plataforma analisou a audiência total e os usuários únicos que interagiram com o conteúdo para chegar ao ranking. Pela primeira vez no país, uma instituição de ensino conquista a posição de destaque, superando nomes como Vale, Ambev, Odebrecht e Petrobras.

A conquista foi um reconhecimento ao trabalho que vem sendo desenvolvido pela FGV, que destina 80% do orçamento de Marketing para ações online. A fundação está presente nas principais redes sociais como Facebook, Twitter, Pinterest, YouTube, Instagram e Google+, mas não por acaso a rede profissional LinkedIn é a principal delas. É neste ambiente que a instituição estreita o contato com os alunos, mantém-se próximo daqueles que já passaram por suas aulas e prospecta novos clientes.
Todo o trabalho é desenvolvido por uma grande equipe comandada pelo Diretor de Comunicação e Marketing, Marcos Facó. Nesta entrevista, o executivo apresenta a estratégia adotada pela Fundação, que está conquistando cada vez mais novos alunos e até prêmio.
Mundo do Marketing: Qual é a importância do Marketing Digital para a Fundação Getulio Vargas?
Marcos Facó: Acredito que o digital seja um caminho sem volta e o social, dentro deste ambiente, é cada vez mais significativo. Investir no digital é uma estratégia da FGV para alinhar tradição e inovação. Estamos sempre buscando a inovação e o que está na ponta, testando as plataformas, procurando a melhor maneira de nos relacionarmos com o aluno e, até mesmo, utilizando-nas de forma didática. Com as nossas ações no digital, conseguimos atrair, inclusive, alunos de outros países sem nunca termos investido em propaganda off-line nesses lugares e nem online. Mas por meio das redes sociais, de pesquisa no Google e em sites, esses estrangeiros conhecem a nossa instituição e acabam se inscrevendo nos cursos online.
Mundo do Marketing: E qual a importância do LinkedIn?
Marcos Facó: Hoje o LinkedIn é a plataforma mais importante para a instituição e que agrega muito valor a nossa marca. Esta é a rede social do futuro, por ser uma ferramenta séria e uma rede que possibilita a troca de informações, permitindo o compartilhamento de conhecimento. Esta é a plataforma na qual mais investimos, pois une as empresas às instituições de ensino na busca pela qualificação profissional e pelo conhecimento. Foco que as outras redes não têm. Enquanto o LinkedIn funciona como uma vitrine profissional, as outras plataformas atuam como um mostruário pessoal, voltada para o lado social e para o entretenimento
Mundo do Marketing: De que maneira os profissionais do Marketing da instituição atuam nas redes sociais?
Marcos Facó: A FGV entende que não dá para terceirizar o orgânico, porque o aluno, ex-aluno ou usuário quer um relacionamento com a empresa e não com um terceiro falando em nome da instituição. É por isso que trazemos isso para o mais próximo possível, com uma equipe exclusivamente dedicada à comunicação. O Marketing da empresa conta com 80 colaboradores, dos quais 10 estão totalmente focados no digital. Neste grupo, há profissionais dedicados às métricas, ao mobile, às redes socais e também fazendo interface com a agência no planejamento das campanhas patrocinadas.
Mundo do Marketing: A FGV é reconhecida internacionalmente e as redes sociais ajudam a estreitar o contato com o público externo. Como vocês trabalham esta questão?
Marcos Facó: Temos relacionamento com várias instituições de ensino no exterior e atraímos a atenção de muitos estrangeiros interessados nos nossos cursos e também nas nossas pesquisas e produção de conhecimento. É por isso que há pouco mais de dois anos passamos a manter uma versão em inglês das nossas postagens com perfis dedicados à comunidade estrangeira. Para isso contamos com profissionais dedicados a replicarem conteúdo no idioma a fim de estreitar essa relação.
Mundo do Marketing: Qual é o retorno que a FGV tem como essa iniciativa?
Marcos Facó: Essa ação tem papel fundamental na divulgação das nossas atividades acadêmicas. Ela não é focada para atrair o aluno, mas isso acaba acontecendo. As redes sociais em inglês ajudam o público externo a ter contato com a nossa produção de forma mais fácil. Muitos jornalistas de outros países usam a FGV como fonte e seguem a instituição nessas redes para ter acesso a comentários sobre inflação, segurança pública e economia, por exemplo. Como o Brasil está na pauta de muitos países, é natural que esses profissionais busquem informações em fonte primária e o que fazemos é facilitar o acesso.
Mundo do Marketing: De que maneira a instituição planeja o seu posicionamento digital?
Marcos Facó: Como tudo isso é muito novo, estamos sempre revendo, pensando, analisando os resultados e tendo o feedback do público para saber como está sendo a experiência dos nossos seguidores e quais são as expectativas deles. A FGV tem três grupos de discussão no LinkedIn, por exemplo, que funcionam de maneira espontânea, com conteúdo gerado pelos próprios membros. Estamos estudando se vamos investir mais na moderação desses grupos, para que o debate não se perca e que não entrem temas inapropriados. Estamos também buscando novas possibilidades para os nossos alunos e vamos integrar a plataforma do LinkedIn no site da FGV para ter um relacionamento mais próximo. Queremos oferecer palestras para os nossos ex-alunos para ensiná-los a como utilizar melhor esta plataforma, ganhar visibilidade profissional e conseguir uma recolocação no mercado.
Mundo do Marketing: Quais são os próximos passos da instituição no ambiente online?
Marcos Facó: Lançaremos em breve o aplicativo FGV Finder, desenvolvido em parceria com o LinkedIn, que ajudará os interessados a encontrarem um curso de pós-graduação. Após a solicitação, a ferramenta analisará todas informações disponíveis no perfil da rede social e indicará o melhor curso oferecido pela Fundação Getulio Vargas, dentro das especificações de cada profissional, e o mais perto possível. O APP permitirá ainda que o interessado faça a matrícula online. 
Mundo do Marketing: Aos 70 anos, o que uma empresa como a FGV tem que fazer para abrir o diálogo com as novas gerações?
Marcos Facó: Os Millennials são totalmente conectados e é por isso que nossos investimentos de comunicação para o vestibular estão 100% focados no digital. Atuamos principalmente no Facebook e contamos com a parceria de diversas empresas para criar desafios para este público. Funciona como uma grande competição em que os internautas são provocados pelas marcas a solucionarem problemas. A melhor resposta ganha um prêmio oferecido pela empresa e, se o estudante passa no vestibular, ele é presenteado mais uma vez, que pode ser, inclusive, com um oportunidade de estágio. O mais interessante é que o jovem entra na FGV com um relacionamento com essas empresas de grande renome. Esta ação tem dado muito resultado.
Breve Como construir um público-alvo melhor no ambiente digital. 

Mundo do Marketing

Leia Mais ››

Você seria um cliente da sua empresa?


Comunique-se no nível certo do seu negócio

Você seria um cliente da sua empresa?

Se você chegou até aqui, motivado pela reflexão que o título sugere, eu tenho certeza que você sairá desta página com boas decisões, prontas para virarem atividades, que lhe proporcionarão bons resultados.

Em um primeiro momento, ao ser questionado em público, a maioria das pessoas diriam que sim, pois se apoiariam em seus pontos fortes, em suas conquistas, naquilo que lhes mantém ativos em seu mercado.

Peço a você que está lendo este artigo no conforto do seu escritório, sua sala, sua casa, ou pelo seu smartphone, independente de onde você estiver; que apenas por um momento, respire fundo, baixe sua defesa e me acompanhe em um pequeno exercício de autocrítica, aproveitando este conteúdo para tentar melhorar seu negócio, por melhor que ele já possa estar!

Ok?! Posso contar com você? Então vamos lá!


Será que estamos transmitindo a imagem correta do que somos?


Você sabe por que pessoas com hábitos de consumo simples, nem sequer entram em lojas e restaurantes refinados? Sabe por que o inverso também é verdade? Por que pessoas com hábitos de consumo refinados, normalmente não frequentam lojas e restaurantes simples?

Perceba que não estou fazendo julgamento de valor, apenas me refiro a padrões de consumo.

A resposta é simples: Essas pessoas têm a rápida percepção, de que lá dentro desses estabelecimentos, não encontrarão produtos e serviços que possam satisfazer suas necessidades. Em outras palavras: “Ali não tem o que eu quero!”

Descubra a medida certa do seu Nível de Comunicação. Nem mais, nem menos!

Muito mais importante do que fazer um Marketing “maravilhoso” do seu negócio, é estabelecer uma linha de comunicação adequada ao seu público-alvo.

Não crie um ambiente muito sofisticado para atender pessoas de hábitos simples, nem o contrário, pois elas se assustarão e irão fugir! Isso mesmo! Isso faz parte do instinto de defesa e sobrevivência das pessoas, independente, de quanto dinheiro tenham!

Sua comunicação está adequada? Muitas vezes, por amor ao nosso negócio, contratamos os melhores designers que conhecemos, para criar peças de comunicação que nos enchem os olhos. Será que esses profissionais têm o conhecimento adequado para identificar o tom de linguagem certo a utilizar?

Exemplo: Você já viu alguma propaganda das Casas Bahia na televisão? Será que eles não conseguiriam, pelo porte que têm contratar uma agência que fizesse algo menos apelativo? Você não considera, por vezes, vulgar a forma apelativa como apresentam suas ofertas?

Pois bem! A Casas Bahia vende preço. Ela está em busca de pessoas que queiram aproveitar oportunidades de comprar barato. Ela não se propõe a agregar valor em seus produtos, nem em seus serviços. Por isso, estabelece uma linha de comunicação de impacto, de rápida assimilação, sem frescuras, nem entrelinhas.

E aí, quer pagar quanto?!


Contextualizando


Diferente de uma concessionária de veículos de luxo, que lhe carrega no colo (ao menos deveria), em um ambiente climatizado, com o intuito de lhe proporcionar uma experiência diferenciada e inesquecível de consumo, empresas que vendem preço, simplificam sua comunicação, massificando-a para atingir o maior número de pessoas possível, sem filtros de segmentação específica de interesse.  

Será que sua comunicação, seu atendimento e sua proposta de negócio estão alinhados com a expectativa das pessoas que poderiam estar comprando seus produtos?

Teste! Admire sua empresa pelo lado de fora. Converse com seus clientes, com sua equipe. Deixe-os livres para opinar sem ouvir sua réplica. Não se justifique para eles, caso contrário, eles se retrairão e não falarão mais. Apenas agradeça, mesmo que você não concorde. Reflita e tome as providências que considerar necessárias!


Importâncias X Urgências


Como é a sua rotina? Você tem tempo para fazer o que é importante para o seu negócio evoluir e estar melhor no dia de amanhã, ou seria você também, um apagador de incêndios?

“A principal tarefa diária de um empreendedor é observar sua empresa funcionando como um sistema vivo, independente de sua existência!”

Você tem conseguido analisar se as peças do seu negócio estão bem encaixadas?

A forma como a sua empresa atua hoje:

- Caminha para o sucesso?
- Apenas se mantém?

- Você sente que o barco está afundando?

- O que você tem feito para proporcionar ao seu negócio um futuro promissor?

- O que você está plantando hoje para colher daqui a um ano? Dois? Cinco anos?

- Como você reage a uma crítica? Arma-se com desculpas? Ataca a pessoa que lhe critica? Busca, através de reflexão, algum ponto para melhorar? 

Dúvidas? Tem uma opinião a respeito? Então, por favor, participe! A sua participação pode ser o fator decisivo na compreensão do assunto por outras pessoas. 

http://www.programacases.com.br/coluna/voce-seria-um-cliente-da-sua-empresa

Sobre Adriano Foss


Profissional de Marketing Digital - Consultor e Autor do Blog Plano de Marketing e do E-book Defina seu Público-Alvo e Transforme os seus Resultados.


Leia Mais ››

Na volta dos Estados Unidos, a dura realidade


Leia Mais ››

A fome no Egito

                                                          









Gênesis 41: 54 – 57

54  E começaram a vir os sete anos de fome, como José tinha dito; e havia fome em todas as terras, mas em toda a terra do Egito havia pão.
55  E tendo toda a terra do Egito fome, clamou o povo a Faraó por pão; e Faraó disse a todos os egípcios: Ide a José; o que ele vos disser, fazei.
56  Havendo, pois, fome sobre toda a terra, abriu José tudo em que havia mantimento, e vendeu aos egípcios; porque a fome prevaleceu na terra do Egito.
57  E de todas as terras vinham ao Egito, para comprar de José; porquanto a fome prevaleceu em todas as terras.


INTRODUÇÃO


Falar em poucas palavras sobre como José chegou ao governo do Egito, depois de haver sido vendido por seus irmãos a uma caravana de mercadores ismaelitas.

1.   Começaram a vir os sete anos de fome sobre a terra do Egito, como José havia dito.

· Referência ao momento profético atual. A fome espiritual e a escassez de pão (Palavra de Deus) são notórios hoje em dia. As pessoas buscam algo que alimente suas almas, e muitas terminam encontrando aquilo que não serve como alimento (religião, letra, esoterismo, misticismo, etc.). Jesus disse que tudo isso iria acontecer, ele profetizou a respeito destes fatos no seu ministério.

2.   No Egito havia pão...

·Apesar da fome espiritual que impera no mundo, o Pão Vivo que desceu do céu está à disposição de todos os que o buscarem. Ele foi revelado a todo o mundo, de modo que todos que desejarem saciar sua fome podem de aproximar dele pela fé, pois ele está ao alcance de todos.

3.   Clamou o povo a Faraó por pão e Faraó disse: Ide a José, o que ele vos disser, fazei.

· Não adianta recorrer à religião, pois ela, apesar de toda a sua estrutura, não pode atender às necessidades das pessoas. Mas a Obra do Espírito tem tudo que as pessoas necessitam. Só o Senhor Jesus pode atender e suprir toda a necessidade do homem, pois ele é o Pão da Vida para todos nós.

4.   José abriu os celeiros onde havia mantimento...

· Jesus é o único que tem as chaves do Reino dos Céus e quando vamos a ele, sempre recebemos toda sorte de bênçãos, pois todo o mantimento que necessitamos só nele encontramos. Ele pode suprir qualquer falta na nossa vida, pois todo o poder lhe foi dado nos céus e na terra.

5.   E todas as terras vinham ao Egito para comprar de José...

Todos os famintos da terra devem ir a Jesus, pois só ele, nenhum outro, tem aquilo que sua alma necessita. Se a necessidade é de salvação, ele deu a sua vida para nos garantir a salvação. Se é paz, ele tem a paz que o mundo não dá. Se é de alegria, ele é a fonte de toda a alegria, e assim por diante. Todos devem “comprar”a bênção, e o preço que deve ser pago é a nossa própria vida, o nosso coração e o nosso ser, pois aquilo que iremos adquirir é uma vida bem melhor do que a anterior: a Vida Eterna.


CONCLUSÃO 

O Senhor Jesus venceu a morte para suprir toda a necessidade da nossa alma. Todo aquele que o busca alcança a vida eterna e a satisfação de todas as suas necessidades interiores. 



Wallace Oliveira Cruz
Leia Mais ››

Como usar o Twitter para promover minha empresa?


Celular com twitter

Como usar o Twitter para promover minha empresa?
Respondido por Leandro Kenski, especialista em marketing digital
Com mais de 100 milhões de usuários cadastrados e mais de 60 milhões de usuários ativos, o Twitter pode ser uma excelente ferramenta para empresas que desejam gerar tráfego para seu site e manter contato com seu público.
Criado para ser uma rede de informação, a ferramenta é usada por muita gente que, apesar de não publicar mensagens ou twittar, acompanha postagens dos perfis seguidos. Segundo pesquisas, cerca de 70% dos usuários do Twitter seguem perfis de empresas, interessados em promoções e descontos.
Oferecer benefícios é um grande incentivo para levar o público ao seu site. Divulgar links de produtos com preços especiais e promoções exclusivas para seguidores, estimula os cliques. Mas os twitteiros não estão atrás só de descontos. Os participantes da rede estão interessados em conteúdo relevante e informações realmente úteis.
Por isso, muito mais do que ‘falar’, publicar mensagens e links, é importante ouvir, responder e estabelecer conversas para saber o que seu público procura. Mesmo que as empresas não desejem posicionar-se dessa forma, esta rede social tem uma forte tendência a se tornar um SAC online, onde consumidores publicam suas críticas e reclamações.
Se isso acontecer com sua empresa, não se desespere! Uma crise iminente pode se tornar uma ótima oportunidade de mostrar que a empresa está disposta a ouvir seus clientes, se posicionar com transparência e usar o feedback percebido por ali para antecipar informações ou melhorar seus produtos e serviços.
Empresas que participam e interagem, aproximando-se do público, fazem muito mais sucesso e, consequentemente, recebem mais cliques, recomendações e retweets.
Se sua empresa ainda não está presente no Twitter, antes de começar a fazer postagens e interagir, é importante observar e aprender a etiqueta do ambiente. O Twitter tem uma linguagem própria, com alguns códigos que mostram a familiaridade com a rede e podem tornar um perfil muito mais popular ou fazê-lo cair no limbo. Um deles, muito útil para quem deseja ampliar o alcance de suas mensagens, são as hashtags. Palavras com o símbolo # na frente tornam-se classificadores de assuntos das mensagens, que passam a ser vistas por várias pessoas, mesmo que não sejam seguidoras do seu perfil.
No final das contas, a palavra de ordem nessa rede social para quem quer ser ouvido e atrair o público é ouvir e participar. O Twitter é um canal de mão dupla e interagir, responder, retwittar outros perfis e aproveitar assuntos dos trending topics são ações que vão fazer toda a diferença nos números do seu site.
http://exame.abril.com.br/pme/noticias/como-usar-o-twitter-para-promover-minha-empresa

Leandro Kenski é CEO da Media Factory, agência especializada em marketing digital.

Envie suas dúvidas sobre marketing digital para examecanalpme@abril.com.br


Leia Mais ››