segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Centauro lança aplicativo com venda integrada às lojas

APP disponibiliza cerca de 15 mil produtos para compra e reúne ofertas personalizadas conforme perfil de compra do cliente. Ferramenta também é usada para pós-venda

Por Priscilla Oliveira | 14/08/2015

priscilla@mundodomarketing.com.br


Atenta ao aumento no número de compras feitas por dispositivos móveis em seu site, a Centauro desenvolveu um aplicativo para a aquisição dos produtos. A ferramenta, disponível para iOS e Android, pode ser usada para conhecer as especificações técnicas dos produtos, fazer compras, receber ofertas personalizadas conforme o perfil o cliente e fazer o atendimento pós-venda. Assim como no site e na versão mobile, os produtos adquiridos também podem ser trocados nas lojas físicas, reforçando o conceito omnichannel da empresa.
O APP também coloca à disposição dos usuários a opção de receber mensagens com promoções de produtos. Outros recursos que estarão disponíveis nas versões futuras do aplicativo serão a geolocalização de lojas e o atendimento ao cliente. Serão disponibilizados cerca de 15 mil produtos de 27 categorias - os mesmos à venda na loja online da marca, nas versões desktop ou mobile - que poderão ser encontrados por meio da ferramenta de busca, desenvolvida sobre interface mais intuitiva, personalização de acordo com o gosto do usuário e atualizações constantes. Com o lançamento da ferramenta, a expectativa da empresa é aumentar o volume de vendas feitas em mobile de 10% para 50%.
Resultado de imagem para Centauro
http://www.mundodomarketing.com.br/ultimas-noticias/34265/centauro-lanca-app-com-venda-integrada.html
Leia Mais ››

domingo, 30 de agosto de 2015

Alclean


Somos a única extrusão de alumínios brasileira com foco exclusivo no mercado vidreiro, e que tem 100% de sua produção vendida no formato de kits.

Com 3,4% de participação do mercado brasileiro de alumínios para vidros temperados e laminados, desde 1994 mantemos vivo nosso ímpeto inovador, com políticas claras de respeito ao meio ambiente.

Logo Alclean



A Alclean é especializada na fabricação de kits para box de banheiro, kits para portas e janelas de correr de vidro temperado, kits para envidraçamento de vãos de pia, portas de closet e vitrine, e kits para envidraçamento de áreas.

Desde 2004 produzimos kits para envidraçamentos de varandas e desde 2012 Kits para divisão de ambientes sem guia inferior.

A Alclean está localizada na cidade de Itapevi, na grande SP, a 20 min da capital, estrategicamente próxima das principais rotas de transportes, com atendimento a todo o território nacional e Mercosul.

No nosso parque industrial, além da produção dos perfis de alumínio e da realização dos processos de tratamento de superfície, fazemos a montagem e expedição dos kits, sob rigído controle de qualidade.

Pequenas Empresas & Grandes Negócios entrevista professor Jotanael Moreira.

O professor e  empresário Jotanael Moreira de Souza é especialista na colocação de vidros na construção civil. Ele mandou um email para a produção do Pequenas Empresas & Grandes Negócios contando que existe uma carência de mão de obra qualificada no mercado vidreiro.


Jotanael criou o Projeto Certo, empresa com cursos profissionalizantes para quem quer se aventurar nesse mercado, que tem alta procura e escassez de profissionais. Atualmente, ele oferece cursos técnicos de capacitação e lucra com os rendimentos da empresa.

Entrevista completa, clique aqui.  

http://www.alclean.com.br/#!sobre/cb3i


Atualizado 14 agosto 2015
Leia Mais ››

sábado, 29 de agosto de 2015

Cerveja Brett IPA, da Way Beer, chega ao mercado


Brett_IPA

A Way Beer lança a cerveja Brett IPA em garrafa de 375 mililitros. Com 6,9% de álcool, a Brett IPA era produzida apenas como chope. A bebida é produzida com uma trinca de lúpulos (Galaxy, Columbus e Citra), em um processo de fermentação 100% com Brettanomyces (um tipo de levedura), que inspira o nome da cerveja.  Para concluir a produção, a cerveja passa por um período de refermentação na garrafa.

“A Brett IPA tem uma história muito legal. É fruto dos estudos rotineiros que realizamos na fábrica. Aos poucos, sempre disponibilizada em chope, ela foi chamando a atenção e recebendo muitos elogios do público nos eventos em que a Way Beer estava presente. Foi aí que acatamos os pedidos dos nossos clientes e sentimos que estava na hora de colocar uma edição especial da cerveja no mercado”, diz Alejandro Winocur, sócio-proprietário da Way Beer.

A garrafa da Way Beer Brett IPA é decorada com o sistema ACL – Applied Ceramic Labeling (serigrafia). 

 O layout foi desenvolvido pela Komm Design.

http://www.embalagemmarca.com.br/2015/07/cerveja-brett-ipa-da-way-beer-chega-ao-mercado/
Leia Mais ››

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

MEI: uma opção para quem deseja abrir um e-commerce


contador-ecommerce

Quando montamos um empreendimento virtual, fazemos principalmente por querer uma maior independência financeira e também para “ser seu próprio patrão”. Porém às vezes a gente se esquece que, para ser o próprio patrão, é preciso pagar tributos e estar dentro das regularidades existentes. Existem diversas formas para isso, e uma delas é o MEI – Microempreeendedor Individual.
O MEI serve para aquela pessoa que trabalha por conta própria e possui um faturamento mensal de até R$ 5 mil emitido em notas fiscais. Entre as vantagens existentes no programa está na isenção de tributos federais, como o PIS, Cofins, IPI, CSLL, e Imposto de Renda. Se tornando um MEI também é possível obter um CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas) – o RG das empresas. Com ele é possível obter serviços diferenciados de uma pessoa física, como uma conta empresarial, ou então para assinar contratos com transportadoras e operadoras de cartão de crédito.
A taxa mensal para isso é pequena: R$ 37,20 para comércio ou indústria, R$ 42,20 para prestação de serviços, e R$ 42,20 para comércio e serviços. Com essa contribuição, o microempreendedor tem direito ao auxílio maternidade, auxílio doença, entre outros benefícios.
Após o cadastro no MEI, o empreendedor recebe um Certificado de Registro e um alvará provisório, com validade de 180 dias. Para obter o alvará definitivo, é necessário ir até à prefeitura de seu município para regular a situação. Aliás, o assunto alvará é algo pouco abordado para quem deseja montar uma loja virtual e pouca gente sabe que é necessário sim. Por mais que nossa atividade seja dentro de casa, a prefeitura precisa dar uma autorização para que o negócio siga adiante. Como estas autorizações variam de município para município, é recomendável procurar o conselho de alguma entidade local. O Sebrae pode ser uma boa fonte de aconselhamento, por exemplo.
Vantagens do MEI:
– É uma boa forma de se legalizar quando a empresa está apenas engatinhando. Quer saber como vai ser a aceitação de um produto? Tem um pouco de incerteza, e não sabe se o e-commerce é uma boa pedida para seu empreendimento? O MEI é uma boa pedida, pois é o cadastro é menos burocrático que os demais tipos de empresa.
– Não precisa contador! O empreendedor precisa enviar mensalmente Declaração Mensal das Receitas Brutas. O processo é simplificado, e pode ser feito pelo próprio dono da empresa.
– Você não precisa ser MEI pra sempre. Conseguiu um sócio? O faturamento aumentou? Daí sim você pode chamar um contador e ir atrás dos trâmites para montar uma sociedade limitada, por exemplo.
Desvantagens:
– Você não pode ter um sócio. A sigla diz Microempreendedor INDIVIDUAL, lembra?
– Apesar de ser individual, você pode contratar um funcionário. Mas apenas um. E o salário não deve ultrapassar o piso da categoria (ou um salário mínimo).

Leia Mais ››

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Roteiro Contábil para Abertura de uma loja virtual

usuario-navegando

Diariamente recebemos, em nosso Chat Consulting, dúvidas sobre os aspectos contábeis da abertura de uma loja virtual. São dúvidas referentes a quais impostos precisam ser pagos, registro de nome da empresa, perguntas concernentes a pontos burocráticos, e etc. Para trazer mais esclarecimentos sobre o assunto, resolvemos publicar algumas das questões mais comuns. Confira o resultado abaixo:
1) Para vender pela internet (ter uma loja virtual) preciso ter um CNPJ obrigatoriamente?
Sim.
2) Quais os impostos que incidem sobre uma loja virtual?
Depende. Se você se enquadrar como MEI, pagará menos de 60,00 fixo mensal. Caso se enquadre como Simples Nacional, pagará 4% de imposto, também mensalmente.
3) Quais são os passos “Contábeis” para abrir, oficialmente, uma loja virtual?
Primeiro Passo – Escolha o “tipo” da empresa.
A legislação brasileira estabelece cinco tipos de sociedade, dentre as quais a “sociedade empresária” deverá optar:
  1. Sociedade em Nome Coletivo;
  2. Sociedade em Comandita Simples;
  3. Sociedade em Comandita Por Ações;
  4. Sociedade Anônima;
  5. Sociedade Limitada.
As sociedades Anônima e Limitada são modelos nos quais os sócios têm responsabilidade limitada nas obrigações assumidas pela empresa. Esse é o modelo mais comum de sociedade no Brasil. Para termos uma ideia, segundo dados divulgados pelo Departamento Nacional de Registro do Comércio – DNRC, aproximadamente 99% das sociedades registradas, entre 1985 e 2001, foram do tipo “Sociedades por Cotas de Responsabilidade Limitada”. Os demais tipos societários possuem sócios que respondem ilimitadamente pelas obrigações sociais, portanto, não são aconselháveis.
A “Sociedade Anônima” é mais adequada às grandes empresas, devido à rigidez das regras que a regulamenta. Já aos pequenos empreendimentos a melhor opção é, sem dúvida, o tipo “Sociedade Limitada”, uma vez que possui regras mais simples que os demais modelos de sociedade, além de preservar melhor a figura dos sócios.
Segundo Passo – O Nome da Empresa
A próxima ação é definir o nome da empresa. Dependendo do tipo de sociedade escolhida, o nome da empresa pode ser em forma de: denominação social ou firma.
A sociedade limitada pode adotar tanto firma como denominação social, mas, ao final do nome, deve constar a palavra “limitada”, ou sua abreviatura “Ltda”.
A firma será composta com o nome de um ou mais sócios, desde que pessoas físicas, de modo indicativo da relação social. Ex: José Terra e Luis Marte Comércio Virtual Ltda.
A denominação deve designar o objeto da sociedade, sendo permitido nela figurar o nome de um ou mais sócios. Ex: Intergaláxia Loja Virtual Ltda.
Dica de ouro: Cuidado! A omissão da palavra “Limitada”, ou de sua abreviatura “Ltda.”, determina a responsabilidade solidária e ilimitada dos administradores que assim empregarem a firma ou a denominação da sociedade.
A inscrição do nome da empresa (firma ou denominação social) no respectivo órgão de registro (Junta Comercial) assegura o seu uso exclusivo no mesmo ramo de atividade, nos limites do respectivo Estado em que a empresa for registrada. Entretanto, caso você queira estender a proteção e o uso exclusivo do nome (marca) de sua empresa para todo o território nacional, você deverá requerer o registro no Instituto Nacional de Propriedade Industrial – INPI.
Escolhido o nome da empresa, é preciso fazer o pedido de busca na Junta Comercial, para verificar se não há outra sociedade registrada com o mesmo nome. Essa busca é realizada mediante o pagamento de uma taxa. É muito importante também que você faça uma pesquisa no INPI, para saber se existe alguma marca registrada com nome semelhante ao de sua empresa.
Terceiro Passo – Providenciar documentação
  • Fotocópia do IPTU do imóvel onde será a sede da empresa;
  • Contrato de locação registrado em cartório (se o imóvel for alugado), ou declaração do proprietário (quando o imóvel for cedido);
  • Fotocópia autenticada do RG e CPF/MF dos Sócios;
  • Fotocópia autenticada do comprovante de endereço dos Sócios;
  • Verificar as exigências do Conselho Regional quanto à elaboração do Contrato Social, especialmente sobre formação societária e responsabilidades técnicas.
Quarto Passo – Contrato Social
Para o registro da sociedade, é preciso elaborar e apresentar o contrato social da empresa na Junta Comercial. Para você perceber o quão importante é o contrato social basta saber que ele representa para a empresa (pessoa jurídica) o que a certidão de nascimento representa para as pessoas físicas. Nesse contrato devem constar cláusulas exigidas pela legislação em vigor, que estabeleçam regras a serem observadas pelos sócios, inclusive os direitos e deveres de cada um. Recomendamos que ele seja elaborado por um advogado, entretanto, muitos contabilistas possuem modelos para este fim. Ao final, o contrato deve ser assinado por um advogado, exceto para microempresa ou empresa de pequeno porte nos termos da Lei nº 9.841/99.
Obs: Você deverá providenciar a averbação do contrato social junto ao Conselho Regional antes de registrá-lo na Junta Comercial do Estado de S ã o P a u l o – J U C E S P.
Cláusulas necessárias de um contrato social:
  1. a) Tipo societário;
  2. b) Qualificação completa dos sócios;
  3. c) Endereço completo da empresa;
  4. d) Nome empresarial (firma ou denominação social);
  5. e) Objeto social (indicação da atividade da empresa);
  6. f) Capital social (é a quantia necessária, representada por bens ou dinheiro, necessária para que a empresa inicie suas atividades);
  7. g) Valor da quota de cada sócio no capital social;
  8. h) Responsabilidade limitada dos sócios;
  9. i) Forma de convocação das reuniões ou assembleias;
  10. j) Nomeação do administrador e seus poderes (no próprio contrato social ou em documento separado);
  11. k) Participação de cada sócio nos lucros e nas perdas;
  12. l) Exclusão ou falecimento de sócio;
  13. m) Regulamentar a cessão de cotas sociais;
  14. n) Foro de eleição (indicação do juízo em que deverá ser resolvida qualquer controvérsia referente ao contrato social);
  15. o) Prazo de duração da empresa.
Para obter informações complementares, Acesse O site do Departamento Nacional de Registro de Comércio – DNRC:http://www. dnrc.gov. br/ – Clique em: Serviços-Código Civil/2002.
Quinto Passo – Órgãos de Registro
  • Registro na Junta Comercial
O registro da Sociedade Empresária é feito na Junta Comercial e deve seguir as seguintes FASES:
Depois de escolher o nome da empresa, realizar a busca do nome e providenciar a documentação mencionada, você deverá confeccionar quatro vias. Essas vias devem possuir igual teor ao contrato social, com todas as folhas rubricadas e a última assinada pelos sócios, testemunhas e advogado (micro ou pequena empresa estão dispensadas da assinatura de advogado). Em seguida, o contrato social deverá ser entregue na Junta Comercial, juntamente com os demais documentos exigidos pelo órgão.
No Estado de São Paulo, a Junta Comercial – JUCESP – traz em seu site todas as informações e documentos necessários para a constituição de uma empresa. Para tanto, basta acessar o seguinte endereço: www.jucesp.sp.gov.br. Caso não seja possível acessar o site, dirija-se ao posto da Junta Comercial mais próximo.
  • Receita Federal (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica – CNPJ)
Todas as pessoas jurídicas, inclusive as equiparadas (empresário e pessoa física equiparada à pessoa jurídica), estão obrigadas a se inscreverem na Receita Federal. Todas as informações e documentação necessárias ao cadastro podem ser obtidas no seguinte endereço na internet: www.receita.fazenda.gov.br. Procure no site: • Cadastros da Receita Federal• Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica – CNPJ• Orientações ao Contribuinte.
Caso não seja possível acessar o site, vá pessoalmente ao posto da Secretaria da Receita Federal mais próximo.
  • Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo
O fato de sua loja virtual realizar vendas de mercadorias faz com que ela seja contribuinte do ICMS e, consequentemente, está obrigada a se registrar na Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo. Saiba que, para esse registro, será necessário que você indique o número do CRC (registro no Conselho Regional de Contabilidade) do contabilista responsável.
O registro na Secretaria da Fazenda para obtenção da Inscrição Estadual (IE), destinada aos contribuintes do ICMS, deve ser feito junto ao Posto Fiscal Eletrônico da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, pela Internet, no seguinte endereço www.pfe.fazenda.sp.gov.br • Serviços Eletrônicos – “Abertura: Deca Inicial”. Caso você tenha dúvidas sobre o procedimento, clique em “Treinamento” que o sistema irá simular o preenchimento das guias necessárias ao registro.
“O Posto Fiscal Eletrônico também dispõe de outros serviços, tais como: alteração de dados Cadastrais, a nova AIDF (Autorização para a Impressão de Documento Fiscal), sua conta-corrente com o Fisco, a possibilidade de calcular e atualizar seu débito, incluindo a impressão da respectiva GARE (Guia de Arrecadação do Estado) ou pagamento por home-banking, transmitir sua GIA (Guia de Informação e Apuração de ICMS) pela Internet. Tudo isso com segurança devido a sistema rigoroso de controle de acesso e indecifrável sistema de geração e distribuição de senhas”.
Caso não seja possível acessar o site, compareça ao posto da Secretaria da Fazenda mais próximo.
  • Inscrição na Prefeitura Municipal de São Paulo
Estão sujeitas à inscrição no Cadastro de Contribuintes Mobiliários (CCM) do Município de São Paulo, as pessoas físicas e jurídicas estabelecidas no Município que desenvolvam algum tipo de atividade. Se você pretende atuar no município de São Paulo, visite o site da Secretaria de Finanças de São Paulo e obtenha maiores informações:
http://www.prefeitura.sp.gov.br/secretarias/financas/servicos/guia_do_contribuinte/tributos_mobiliarios_iss.asp. A inscrição é gratuita, dispensa intermediários e deve ser procedida no prazo de 30 (trinta) dias contados do início da atividade.
Se não for possível acessar o site, dirija-se ao Departamento de Rendas Mobiliárias da Secretaria das Finanças do Município de São Paulo (Rua Brigadeiro Tobias, 691 – São Paulo).
  • Inscrição em outro Município
Se sua empresa for constituída em outro município, consulte a Prefeitura local para obter informações sobre a inscrição da mesma. Registro de Empresário O interessado em obter personalidade jurídica como empresário, deverá seguir os mesmos passos relacionados no processo de constituição de uma sociedade empresária. Entretanto, ao invés do contrato social, o interessado deverá apresentar uma declaração própria, exigida pela Junta Comercial.
A Junta Comercial do Estado de São Paulo – JUCESP, disponibilizou em seu site (www.jucesp.sp.gov.br) o programa Cadastro Digital, que permite ao usuário gerar, em disquete, informações cadastrais relativas aos arquivamentos de constituições ou anotações do Empresário. O sistema permitirá, também, que todos os formulários necessários sejam emitidos corretamente, com o mínimo de trabalho para seu operador.
Caso não seja possível acessar o site, vá pessoalmente ao posto da Junta Comercial mais próximo.
Complicado né? Mas passados todos esses passos você já poderá vender online. Empreendedor no Brasil precisa ser persistente!
E lembre-se: o comércio eletrônico operou no Brasil livremente durante alguns anos. A partir de 2010 a fiscalização aumentou e não há como escapar do “registro contábil e fiscal” da sua loja virtual. Exemplo disso é a determinação da Secretaria da Fazenda de São Paulo, que obrigou as empresas paulistas de hospedagem de sites de e-commerce a informar, até o dia 20 de janeiro 2011, os dados de usuários que fizeram vendas maiores do que nove itens de mercadorias, ou R$ 60 mil, em um dos trimestres do ano passado. As empresas que não enviaram as informações poderão ser intimadas a pagar o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) não recolhido.
As garras do leão estão começando a alcançar o comércio eletrônico. Quem não estiver atento às exigências da Receita, que não serão poucas, não sobreviverá nesse mercado.
http://ecommercenews.com.br/artigos/cases/roteiro-contabil-para-abertura-de-uma-loja-virtual

Leia Mais ››

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Embalagens da Pelaggio estampam turma do Mickey


A Pelaggio estampa nas embalagens da linha de bolos e biscoitos de leite (Ecológicos) os personagens da Turma do Mickey. As embalagens são individuais.
“Este licenciamento Disney leva aos consumidores a um mundo de imaginação e fantasia, cheio de criatividade”, ressalta Márcio Holanda, gerente de produto da Pelaggio.
Os bolos recheados de 40 gramas são encontrados em cinco sabores: Baunilha com chocolate, Baunilha com gotas e recheio de chocolate, Baunilha com morango, Brigadeiro com chocolate e Chocolate com chocolate. O biscoito de leite Ecológicos está disponível em embalagens de 30 gramas e de 150 gramas.













Leia Mais ››

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Fhom lança chips de batata doce e mandioquinha



Fhom1 Fhom2 Fhom3

Produzidas sem corantes, conservantes, gordura trans, colesterol e com baixo teor de sódio, utilizando sal light, a linha VEG é a novidade da Fhom Alimentos para o mercado de snacks.

Os produtos são 100% naturais e estampam o selo da Sociedade Vegetaria Brasileira estampado nas embalagens. Em formato chips, os snacks são elaborados com batatas doces (amarela, rosa e roxa) e mandioquinha. Disponíveis em embalagem com 45 gramas, a linha VEG da Fhom possui três sabores: 

Mandioquinha & Batata-Doce, Batata-Doce Chips e Mix Batatas-Doces Chips.

O design das embalagens é da agência Zoom Mais. Os invólucros são produzidos pela Relipel.

http://www.embalagemmarca.com.br/2015/08/chips-de-batata-doce-e-mandioquinha-sao-opcoes-de-snack-da-fhom/


Leia Mais ››

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Megamazon ganha novas embalagens com foco no mercado asiático




Shampoos e condicionadores para o mercado Pet, produzidos pela Pet Society, são desenvolvidos com extratos amazônicos 100% naturais

Megamazon ganha novas embalagens com foco no mercado asiático

CURITIBA, 08/2015 - O desafio de traduzir a brasilidade, o aroma e a suavidade de shampoos e condicionadores voltados para o mercado pet em embalagens atrativas e ergonômicas sem onerar os custos de produção. Esse era o objetivo da empresa Pet Society, de Indaiatuba (SP), ao se cadastrar no programa Design Export, uma iniciativa da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e do Centro Brasil Design (CBD), que tem por objetivo apoiar empresas brasileiras a desenvolverem produtos inovadores com design diferenciado voltados à exportação. 

Fundada em 2004, a Pet Society é uma das mais reconhecidas marcas de higiene, embelezamento e saúde animal do mercado brasileiro. Por meio do Design Export, a PetSociety reformulou as embalagens de sua linha Megamazon, desenvolvida com extratos amazônicos 100% naturais, com fórmula suave e biodegradável, livre de conservantes e extremamente perfumada. Os shampoos e condicionadores dessa linha são apresentados em quatro aromas: Guaraná & Açaí; Pitanga & Buriti; Maracujá e Cupuaçu. As frutas e sementes utilizadas são extraídas da floresta por métodos harmoniosos que aliam os hábitos tradicionais da população local às técnicas modernas para lidar com os recursos naturais, transformando a floresta em uma renovável e sustentável fonte de riqueza.

“A linha Megamazon possui um apelo brasileiro forte que a diferencia dos demais produtos de higiene vendidos no mercado externo, facilitando a sua introdução nos países-foco. Entretanto, era necessário modernizar visualmente o produto, deixando-o mais atraente aos olhos do consumidor”, comenta Marly Fagliari, da Pet Society.

De acordo com Marly Fagliari, com suas novas e atrativas embalagens, a Pet Society está pronta para alçar grandes voos no mercado internacional, com foco principal na Ásia. “O Design Export foi muito interessante e benéfico para a empresa, pois possibilitou a renovação da nossa principal linha de exportação, modernizando seu visual e deixando-a mais atraente aos olhos do consumidor. A presença das frutas brasileiras nos novos rótulos e o novo design da embalagem possibilitaram uma maior e melhor presença na prateleira. Além disso, os custos para um desenvolvimento desse porte são altos e, sem o auxílio do projeto, provavelmente seria inviável o investimento”, complementa. 

Fonte: P+G Comunicação
- See more at: http://www.guiadaembalagem.com.br/noticia_6988-megamazon_ganha_novas_embalagens_com_foco_no_mercado_asiatico.htm#sthash.MnT56i94.dpuf


Leia Mais ››

domingo, 23 de agosto de 2015

Yoki lança pipoca pronta


A Yoki, marca da General Mills, lança a Pipoca Pronta Yoki, nos sabores Chocolate, Caramelo e Pipoca Doce do Pipoqueiro. Segundo a fabricante, o produto é mais crocante que as demais opções existentes no mercado.

Com formulação exclusiva, grãos do tipo mushroom e tecnologia importada, a novidade pode ser encontrada em pacotes de 50 gramas, para consumo individual, e de 100 gramas, para consumo compartilhado.


O design da embalagem foi desenvolvido pela Team Creatif. As cores foram escolhidas com o objetivo de facilitar a exposição das embalagens e, desta forma, fazer com que os consumidores encontrem as novas pipocas com facilidade no ponto de venda.

.
Pipoca Pronta - sabor Caramelo_50g Pipoca Pronta - sabor Chocolate_50g Pipoca Pronta - sabor Doce do Pipoqueiro_50g Pipoca_Pronta_Caramelo_100g Pipoca_Pronta_Chocolate_100g Pipoca_Pronta_Doce do Pipoqueiro_100g




http://www.embalagemmarca.com.br/2015/08/yoki-lanca-pipoca-pronta/

Leia Mais ››

sábado, 22 de agosto de 2015

Pilão relança cappuccino em nova embalagem

Cappuccino Pilão
A Pilão relança sua linha de Cappuccinos em novas embalagens. São três versões do produto: Tradicional, Chocolate e Baunilha. Os potes de polietileno de alta densidade (PEAD) que acondicionam os cappuccinos são decorados com rótulos termoencolhíveis. Desenvolvida pela Narita Design, a nova identidade visual destaca a cor vermelha, que identifica a marca Pilão.

“O cappuccino é sinônimo de praticidade, versatilidade e vem de encontro com a vontade do nosso consumidor de degustar o seu café preferido em versões diferenciadas. Com o relançamento, vamos aumentar a presença da bebida nos pontos de vendas de todo o país com uma ótima relação custo-benefício”, afirma Ricardo Souza, diretor de marketing da Jacobs Dowe Egberts (JDE), companhia que detém a marca.

http://www.embalagemmarca.com.br/2015/08/pilao-relanca-cappuccino-em-nova-embalagem/


Leia Mais ››

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Tramontina


O controle de qualidade é quase uma obsessão para a TRAMONTINA. O chão de fábrica é limpo, colorido, com robôs andando de um lado para outro. A maior parte das máquinas é fabricada pelo próprio grupo. Tudo para fabricar os melhores produtos, e olha que são muitos, desde facas e talheres, passando por panelas até ferramentas e móveis de piscina, tendo como objetivo facilitar a vida de nós consumidores.

A históriaFundada na cidade de Carlos Barbosa, região serrana do Rio Grande do Sul, em 1911, por Valentin Tramontina, que foi seu comandante por 28 anos, a empresa começou como uma pequena ferraria, inicialmente em um terreno alugado. Valentin era um colono artesão, filho de imigrantes italianos, e veio a Carlos Barbosa porque a ferrovia significava perspectiva de expansão. Em 1919, ano em que o fundador prestou serviço militar no Tiro de Guerra 395, ele comprou um terreno de 300 m2 na Rua Amapá, construindo um prédio de madeira para abrigar a ferraria, onde trabalhavam o fundador, seu irmão Luiz e mais duas pessoas. Até 1930, a produção da ferraria era modesta. Valentin prestava serviços a empresas, entre elas, Arthur Renner, proprietário de uma refinaria de banha; fazia conserto em indústrias locais, ferrava cavalos e fabricava canivetes, batizados de Santa Bárbara.


Nesta época, havia cinco empregados trabalhando na ferraria, e seis trabalhando a domicílio. O aço necessário para fabricar as lâminas era obtido batendo-se molas de caminhão usadas. Recorria-se aos malhos instalados em rodas d’água existentes na região para forjar o aço. Somente em 1932 teve início a fabricação de algumas facas com cabo de chifre. Os modelos foram inspirados em facas importadas que haviam sofrido danos durante um incêndio em um armazém de um importador em Porto Alegre. Coube à Ferraria Tramontina o trabalho de recuperá-las.


Quando morreu seu fundador em 1939 a produção da empresa era ainda artesanal e resumia-se a facas e canivetes feitos com cabo de chifre. A partir daí assumiu a ferraria dona Elisa Tramontina, esposa de Valentin, que despontou como uma empreendedora nata e arrojada. Era ela que ia vender a produção nos mercados regionais e na capital. Durante a Segunda Guerra Mundial, caso não existisse a determinação e a coragem de Elisa, a ferraria teria sucumbido. Em 1944, a empresa comprou a sua primeira prensa excêntrica. Antes, todas as lâminas eram cortadas manualmente com o auxílio de talhadeiras. Depois passaram a ser cortadas com o uso de estampos.


O ano de 1949 pode ser considerado um marco na história da empresa. Trata-se da data em que Ruy José Scomazzon, um jovem de apenas 20 anos, cursando a faculdade de Ciências Econômicas da PUC de Porto Alegre, começou a prestar assessoria à TRAMONTINA. Ruy, com espírito de liderança, implantou planos ambiciosos, enfatizando a organização em todos os setores. Inaugurou-se uma nova etapa na empresa. O caráter artesanal cedeu lugar a uma produção manufatureira. Na década de 50, a empresa contava com 30 empregados e alguns representantes comissionados, espalhados pelo estado do Rio Grande do Sul. Nesta época, os canivetes representavam 90% do faturamento.


Em 1954, organizou-se a empresa V.a. Valentin Tramontina & Cia. Ltda., sendo sócios, Elisa e Ivo Tramontina e Ruy J. Scomazzon. No ano seguinte tem início a laminação do aço. Antes o aço era obtido forjando-se pedaço por pedaço, em um malho. A laminação abriu imensas possibilidades de crescimento para a TRAMONTINA. Em 1958, a empresa participou de suas primeiras feiras e exposições, com o objetivo de divulgar a marca e apresentar seus produtos. As décadas de 60 e 70 foram marcadas pela instalação de empresas do grupo em Garibaldi, Farroupilha e no estado da Bahia. Nestes anos a linha de produtos ganhou inúmeros itens como facas (cozinha, profissional, esportiva), canivetes, tesouras, espetos, talheres, utensílios de cozinha e panelas, formas e travessas antiaderentes de alumínio; materiais elétricos como interruptores e tomadas, além de uma vasta linha de ferramentas como martelos, chaves de boca, chaves de fenda, alicates, formões, plainas, serras, serrotes, entre outras.


A década de 80 foi de um enorme crescimento para empresa, tanto no mercado interno como externo, onde em 1986 a TRAMONTINA inaugurou uma subsidiária na cidade de Houston no Texas. Nos anos seguintes a empresa se tornou definitivamente um gigante em seu setor, ampliando ainda mais sua linha de produtos e ingressando em muitos mercados mundiais como Alemanha (1993), Chile (2000), Dubai (2004) e Peru (2005). Neste novo milênio a TRAMONTINA também decidiu que tinha chegado a hora de ir além da cozinha. A ordem partiu de Clóvis Tramontina, neto de Valentim e principal responsável pelas maiores mudanças da empresa nos últimos anos. A grande tacada do empresário foi aproveitar uma simples fábrica de cabos de madeira que revestem talheres para ingressar no mercado de móveis. Cadeiras e mesas com a marca TRAMONTINA começaram a aparecer nas lojas. O mesmo aconteceu com a unidade que fazia cabos de plástico: foi ampliada para fabricar móveis para piscina.


Recentemente, em 2007, a TRAMONTINA, líder nacional nos segmentos de panelas, talheres e ferramentas, decidiu combater os importados com um apelo à “brasilidade” e uma política comercial mais agressiva. A empresa lançou uma coleção de panelas em aço inoxidável denominada “Linha Tropical”, com a bandeira do Brasil nas embalagens de cinco unidades e preço ao consumidor padronizado em R$ 199 para todo o país parcelado em até dez vezes. O resultado: Em três meses foram vendidas 435 mil unidades. Além disso, sempre inovando para levar à casa muito mais charme e qualidade, a empresa criou a linha Tramontina Design Collection, composta por produtos exclusivos com design incrível para deixar um ar requintado e moderno na cozinha. A TRAMONTINA, que em 2011 completou 100 anos, tem acompanhado várias gerações de consumidores e construído, uma relação de qualidade e respeito, sempre oferecendo produtos da mais alta qualidade. Para marcar a data a marca lançou uma linha de facas especiais, denominada Damaski, em edição limitada, apenas 1.000, sendo 500 de peças de lâminas de 8 milímetros e 500 de 6 milímetros.


A linha do tempo1959 Fundação da Metalúrgica Forjasul Ltda., no bairro Passo do Feijó em Porto Alegre, onde hoje se produz: Eletroferragens forjadas para linhas e transmissão elétrica até 1000 kV, peças forjadas sob encomenda até 100 kg (em matriz fechada) ou até 300 kg (peças parcialmente forjadas), ganchos haste conforme DIN15401 com capacidade de até 110 toneladas, ganchos olhal com capacidade de até 50 toneladas, tornos de banca forjados, ferramentas, machados e marretas.
1961 A empresa transforma-se em Sociedade Anônima e surge a Tramontina S.A. – Cutelaria e Ferramentas Agrícolas. Esta unidade da empresa produz: facas (cozinha, profissional, esportiva), canivetes, tesouras, espetos, talheres, utensílios de cozinha e panelas, formas e travessas antiaderentes de alumínio.
1963 Início das atividades da Tramontina Garibaldi S.A. (Garibaldi/RS), onde são fabricados: martelos, machadinhas, chaves de boca, chaves de fenda, alicates, torquês, formões, plainas, níveis, serras e serrotes.
1969 Realização de suas primeiras exportações para o Chile.
1971 Início das atividades da Tramontina Farroupilha S.A. (Farroupilha/RS). Esta unidade produz: panelas de aço inoxidável, baixelas, talheres finos e utensílios de cozinha de aço inoxidável.
1976 Início das atividades da Forjasul S.A. Materiais Elétricos (Carlos Barbosa/RS). Hoje transformada em Forjasul Eletrik S.A., produz: acessórios para elétrodutos, interruptores e tomadas, caixas de derivação e acessórios de alumínio para redes de transmissão de energia elétrica.
1982 Início das atividades da Tramontina Ferramentas Agrícolas S.A. (Carlos Barbosa/RS). Hoje essa divisão produz: carrinhos-de-mão, ancinhos, enxadas, picaretas, pás, foices, foicinhas, gadanhos, cavadeiras, cortadores de grama, jardinagem e tesouras de poda.
1986 Início das atividades da Tramontina Belém S.A., que fabrica nos dias de hoje móveis de madeira, tábuas de corte, utilidades de madeira e cabos de ferramentas.
1988 Instalação do primeiro robô em sua fábrica de panelas, que tinha como principal objetivo polir cabos de frigideiras.
1990 Início das atividades de Forjasul Encruzilhada Ind. de Madeiras Ltda. (Encruzilhada do Sul/RS). Hoje chamada Tramontina Madeiras S.A. produz painéis de pinus, prateleiras retas e de canto, estantes e utilidades domésticas.
1996 Criação do Tramontina TEEC S.A., onde são fabricadas pias e cubas de aço inoxidável.
1998 Criação da Tramontina Delta S.A. que fabrica mesas e cadeiras de polipropileno.
2007 Início da produção de fogões de mesa (chamados cooktops) e de vitro-grills, chapas de vitrocerâmica portáteis que podem ser usadas tanto como fogão como grelha.
2008
 Lançamento da linha TRIX COBRE, composta por panelas com tripla camada (aço inox, alumínio e cobre), que facilita o aquecimento e distribui melhor o calor aos alimentos.
2011 Lançamento dos talheres de prata da linha Classic, que ganhou um banho de prata e vão para a mesa de jantar em versão ainda mais sofisticada.


A evolução visualDe 1955 a 1960, diferentes produtores elaboraram as formas da marca TRAMONTINA. Foram as primeiras apresentações gráficas para as linhas de produtos.


Entre 1964 e 1966, a apresentação da marca manteve-se quase a mesma. O “T” maiúsculo servia para ser estampado na lâmina do canivete, produto de maior fabricação nesse período.


De 1967 até 1975, o “T” maiúsculo foi sendo elaborado, adquirindo ainda mais personalidade.


Entre 1977 e 1978 houve mais transformações: o “T” foi colocado depois do nome e foi acrescida uma simbologia gráfica.


Os anos 80 e 90 representaram mudanças muito cuidadosas na marca. Através de análises e pesquisas chegou-se a marca que se usou até 2004. Neste ano a logomarca sofreu novas, porém, pequenas alterações. A mudança segue uma tendência do design da marca anterior de simplificar as formas e, com isso, fortalecer ainda mais alguns elementos visuais da marca, mantendo a identidade já reconhecida pelos consumidores.


Os slogansBrasileira assim como você.
Faz bem pra você.
Viver Com Prazer.
Tramontina é BBB: Bom, Bonito e Barato.


Dados corporativos● Origem: Brasil● Fundação: 1911● Fundador: Valentin Tramontina● Sede mundial: Carlos Barbosa, Rio Grande do Sul, Brasil
● Proprietário da marca: Tramontina S.A.● Capital aberto: Não● CEO & Presidente: Clóvis Tramontina● Faturamento: R$ 2.4 bilhões (estimado)
● Lucro: Não divulgado
● Fábricas: 10
● Presença global: 120 países● Presença no Brasil: Sim● Funcionários: 6.000
● Segmento: Utensílios domésticos● Principais produtos: Talheres, panelas e ferramentas● Principais concorrentes: Hercules, Tefal e Panex● Ícones: As facas e panelas
● Slogan: Brasileira assim como você.● Website: www.tramontina.com.br

A marca no mundoA TRAMONTINA é a única empresa brasileira a exportar com marca própria para mais de 120 países. Atualmente o grupo é formado por 10 unidades industriais (sendo oito no Estado do Rio Grande do Sul, uma em Belém, no Estado do Pará, e outra em Recife, no Estado de Pernambuco) que produzem mensalmente quatro milhões de facas, 21.5 milhões de talheres para uso diário, quatro milhões de talheres finos e econômicos, 800 mil chaves de fenda, 260 mil martelos, 200 mil enxadas, 20 mil pias e 35 mil cubas, 300 mil cadeiras e mesas plásticas, 20 mil mesas e cadeiras de madeira, 66 mil prateleiras, 15 mil cortadores e aparadores de grama e 200 mil panelas de aço inox. A empresa produz além de talheres, panelas em aço inox, utensílios e acessórios para cozinha, também pias, ferramentas para jardim, agricultura e para construção civil, produtos para instalações elétricas (interruptores e tomadas), mesas e cadeiras em madeira e plástico e estantes em madeira.

Você sabia? Hoje a TRAMONTINA fabrica mais de 17 mil itens de utilidades domésticas destinados às principais redes de varejo do Brasil e a exportação.

As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Isto é Dinheiro, Exame e Época Negócios), jornais (Valor Econômico), sites especializados em Marketing e Branding (Mundo do Marketing) e Wikipedia (informações devidamente checadas).
Leia Mais ››